sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Geocaching em 2014.

Hoje dou uma geocache para adopção.

O Geocaching é uma caça ao tesouro dos tempos modernos, um desporto estranho com GPS a que me dedico desde 2005. Nestes quase 9 anos não consigo apontar todas as vantagens de sair à rua e subir um monte como alternativa a ficar no sofá a vegetar em frente à televisão. Nem tão pouco consigo aqui partilhar todas as amizades que travei com colegas geocachers as quais muito prezo. Foram quase 9 anos recheados de coisas boas, de vitórias e obstáculos que se ultrapassaram. Foi um processo que me enriqueceu muito como pessoa e que não deixarei para trás porque todas as experiências que vivi fazem agora parte de mim.

Dar hoje uma geocache para adopção significa passar o testemunho a outro jogador que continuará a manter aquele ponto que faz parte de um jogo global com literalmente milhões de pontos físicos e milhões de jogadores activos. Significa também que algo mudou na nossa sociedade e que eu não pretendo de forma alguma entrar na guerra de quem opta por fazer anti-jogo, retirando regularmente os elementos do jogo do local determinado. Se gostasse de anti-jogo, assistiria ao futebol que se pratica em Portugal. E se acreditasse em coincidências, seria católico.

A geocache está num local incontornável do turismo em Lisboa e fica entregue a alguém que, como eu, gosta de desafiar os limites do habitual. Quem me conhece sabe que admiro o esforço extra que se coloca para obter um produto acima do banal e fácil, seja na música, na programação, na dança ou no design industrial. Fica bem entregue esta geocache que dou hoje para adopção.

... e o jogo segue.

Obrigado por tudo. A todos.

BaiaVieira
Geocacher.